segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Com Panic!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Vamos falar de Pânico...não! ...não é um filminho chinfrim, de terror meia boca não. Vamos falar de uma das melhores e mais estilosas bandas, e porque não dizer culta e intelectualizada do mundo indie rock. Estou falando de Panic! At The Disco com exclamação, pois já tiraram a exclamação do nome da banda e colocaram de novo - prefiro com ela!!!! Enfim, ... gente... amo as músicas dessa banda e não vejo a hora de vê-los num show por aqui no Brasil. A formação não é mais a mesma, mas o som continua com qualidade,quem vê o estilo de Brandon Urie, Spencer Smith, Ian Crawford e Dallon Weekes e até mesmo dos integrantes da primeira formação Ryan Ross, Brent Wilson e Jon Walker tem a impressão que a banda americana tem um pézinho britânico, com seus terninhos com cortes perfeitos, camisas e sapatos elegantes, um charme só, mas quem vê cara , não vê que horas são...em suas produções podemos perceber fortes influências da dramaturgia e da literatura, tanto nos clipes como em suas letras trabalhadas, sem falar nos títulos longos das músicas - que sozinhas dariam um best Seller... rsrs. Gente... letras bem estruturadas são coisas raras hoje em dia , mas essa turma consegue. Fora suas apresentações em shows que são recheadas de muita encenação. Acho Bárbaro!!!Uma coisa meio Teatro Mágico???!!

Suas letras sempre críticas com um quê irônico e divertido, retratando temas sociais, alcolismo, prostituição, religião. Esses temas ficaram muito marcantes no primeiro álbum da banda "A Fever You Can't Sweet Out (2005), no qual abusaram de estratégias para fazer dele um marco na carreira e pode-se dizer que conseguiram pois a faixa     I Write Sins Not Tragedies", foi premiadíssima. Não queriam um disco de músicas iguais, dividindo um cd em dois extremos, compondo faixas que abusaram do eletrônico, mas também aquelas músicas com sons mais melódicos e antiquados, como eles mesmos o definiram, abusando de pianos e acordeões.
Mas o cd que mais gosto deles é Pretty.Odd (2008) o segundo da banda, talvez por ter uma sonoridade que lembra os garotos de Liverpool, conhecem? ...todos os  integrantes participam dos vocais de alguma forma, sei lá , questão de gosto. Foi um álbum cercado de muito marketing, lançado no Myspace, com músicas no iTunes, com pré estréias cheia de enigmas, premiações para os fãs, mas o que importa são as músicas, que são fantásticas na minha opinião.Esse álbum lhes renderam apenas o Prêmio de Melhor Vídeo Pop  por "Nine In The Afternoon", o que eu acho uma injustiça pois o álbum é muito bom.
O terceiro álbum  Vices & Virtues traz uma característica mais despreocupada e mais pop e uma nova formação. Sem a presença do principal compositor Ryan Ross, mas não decepcionaram por isso, pelo contrário , tiveram que levar a coisa mais a sério, porém sem exageros, não deixaram de curtir a produção, até porque segundo relatos dos integrantes, o produtor os deixou bem a vontade para criarem, abusando de sintetizadores e até de um coral infantil, literalmente brincaram com as músicas o que resultou num álbum muito sólido e autêntico, porque não dizer surpreendente, pois nenhuma faixa soa igual á outra. Pra começar New Perspective (linda...ouçam o acústico com a voz sonora de Brandon), foi trilha de filme (Jennifer's Body), Ready to Go (Get Me Out of My Mind)" também (Smurfs), The Ballad Of Monalisa foi muito elogiada pela crítica sendo comparada com músicas do primeiro álbum da banda, além de recuperar o lado teatral em seus clipes, onde Brandon Urie volta a abusar de suas caras e bocas , o que eu acho magistral!.Com certeza a exclamação é necessária!!!! Muitas...Panic!!!!!!  At The Disco   !!!!!!!!

Bom ouçam então a premiadíssima I Write Sins No Tragedies:

                                                                                That Green Gentleman




Essa eu ouço no último volume...maravilhooosaaa!!! Voz "magnânima"...


 Pra quem curte games tem Panic! na trilha sonora de  Batman: Arkham City uma nova canção, "Mercenary", achei bem legal o som!!! Marcante como sempre! Curte aí...